Mediadores Voluntários: Q&A Pedidos de Mediação ONLINE

Para dar resposta às muitas solicitações que nos estão a chegar, aqui deixamos as respostas a algumas dúvidas frequentes:

  1. Qual é o custo da Mediação ONLINE?: neste período de emergência sanitária, a Mediação ONLINE, é oferecida GRATUITAMENTE, por Mediadores Voluntários em suas casas;
  2. Como são feitos os pedidos de Mediações?: os contatos serão feitos através da Associação, que os interessados contatarão inicialmente (ver contatos em baixo). Depois a Associação, contata os Mediadores Voluntários e fornece-lhes os seus dados, para fazerem o primeiro contato, telefónico (“pré-Mediação”);
  3. Que plataformas serão utilizadas para as video-chamadas?: aconselhamos a plataforma Zoom (clique), mas pode ser usada qualquer uma à escolha do Mediador e/ou dos Mediados (ex.ºs: Microsoft Teams, Skype, Whatsapp, ou Google Hangouts…);
  4. As mediações serão judiciais ou extra-judiciais: as Mediações serão extra-judiciais (o serviço de Mediação Judicial funciona junto dos Julgados de Paz);
  5. Qual o valor Jurídico do acordo de Mediação?: juridicamente, o acordo de Mediação tem o valor de um contrato, livremente aceite pelas partes e pode ser homologado como tal junto de um notário (no caso de Mediação Familiar ou Laboral pode ser necessária a sua homologação por Magistrado judicial ou Conservador);
  6. Posso ser assistido pelo meu Advogado(a): Os advogados das partes são muito bem-vindos ao processo de Mediação, para prestarem aconselhamento/apoio jurídico aos seus clientes;
  7. Como se inicia o processo de Mediação online?: A Mediação ONLINE começa com uma chamada telefónica do Mediador (precedida do pedido de Mediação) que fará entrevistas individuais com as partes em conflito e agendará a primeira sessão de Mediação ONLINE com todas as partes;
  8. O que posso esperar do Mediador(es)?: O(s) Mediador(es), não impõem decisões (não são juízes ou árbitros no processo), não dão aconselhamento jurídico (não são advogados no processo), não fazem terapia (não são psicólogos ou terapeutas das partes no processo). O(s) Mediador(es) são profissionais certificados, com formação superior e especialização em Mediação de Conflitos, que facilitam a Comunicação e a Pacificação, conferindo às partes vias para entendimentos conducentes a um ou mais acordos, durante o processo de Mediação e após;
  9. Quais os passos seguintes da Mediação ONLINE? Após a primeira sessão conjunta, os Mediados (utentes), assinam um primeiro acordo, em que se comprometem a participar no processo de Mediação, de forma livre, com respeito por todas as partes e pelo(s) Mediador(es) e pelos princípios da Mediação, nomeadamente, o sigilo do processo e do acordo, a autonomia da vontade das partes;
  10. Quantas sessões terá o processo de Mediação? O processo de Mediação terá o número de sessões que as partes e o(s) Mediador(es) considerarem necessárias e suficientes;
  11. Como termina o processo de Mediação?: o processo de Mediação, geralmente termina em acordo escrito, mas poderá não ser esse caso, se as partes assim o entenderem ou se o Mediador(es) verificarem que não existem condições para celebrar o acordo, nomeadamente se o mesmo for ou contiver cláusulas ilegais ou manifestamente desproporcionais;
  12. Outras informações pertinentes (1): damos preferência a Mediações com observação, para dar experiência aos Mediadores Estagiários, e solicitamos o reporte/feedback à Associação, com a finalidade de melhorar o serviço.
  13. Outras informações pertinentes (2): os Mediadores da Bolsa de Voluntários #TFCOVID19AMC, regem-se pelas normas do Código de Ética e Deontologia da Associação de Mediadores de Conflitos e pela Lei n.º 29/2013 de 19 de abril
  14. Onde posso pedir uma Mediação?: Pode enviar eMail, para: associacao@mediadoresdeconflitos.pt, com o seu contato telefónico/whatsapp.

#TFCOVID19AMC #VAMOSFICARBEM!

Mediadores Voluntários: Q&A Pedidos de Mediação ONLINE

Para dar resposta às muitas solicitações que nos estão a chegar, aqui deixamos as respostas a algumas dúvidas frequentes:

  1. Qual é o custo da Mediação ONLINE?: neste período de emergência sanitária, a Mediação ONLINE, é oferecida GRATUITAMENTE, por Mediadores Voluntários em suas casas;
  2. Como são feitos os pedidos de Mediações?: os contatos serão feitos através da Associação, que os interessados contatarão inicialmente (ver contatos em baixo). Depois a Associação, contata os Mediadores Voluntários e fornece-lhes os seus dados, para fazerem o primeiro contato, telefónico (“pré-Mediação”);
  3. Que plataformas serão utilizadas para videochamadas?: aconselhamos a plataforma Zoom (clique), mas pode ser usada qualquer uma à escolha do Mediador e/ou dos Mediados (ex.ºs: Microsoft Teams, Skype, Whatsapp Google, Hangouts);
  4. As mediações serão judiciais ou extra-judiciais: as Mediações serão extra-judiciais (o serviço de Mediação Judicial funciona junto dos Julgados de Paz);
  5. Qual o valor Jurídico do acordo de Mediação?: juridicamente, o acordo de Mediação tem o valor de um contrato, livremente aceite pelas partes e pode ser homologado como tal junto de um notário;
  6. Posso ser assistido pelo meu Advogado(a): Os advogados das partes são muito bem-vindos ao processo de Mediação, para prestarem aconselhamento aos seus clientes;
  7. Como se inicia o processo de Mediação online?: A Mediação ONLINE começa com uma chamada telefónica do Mediador (precedida do pedido de Mediação) que fará entrevistas individuais com as partes em conflito e agendará a primeira sessão de Mediação ONLINE com todas as partes;
  8. O que posso esperar do Mediador(es)?: O(s) Mediador(es), não impõem decisões (não são juízes ou árbitros no processo), não dão aconselhamento jurídico (não são advogados no processo), não fazem terapia (não são psicólogos ou terapeutas das partes no processo). O(s) Mediador(es) são profissionais certificados, com formação superior e especialização em Mediação de Conflitos, que facilitam a Comunicação e a Pacificação, conferindo às partes vias para entendimentos conducentes a um ou mais acordos, durante o processo de Mediação e após (“empoderamento”);
  9. Quais os passos seguintes da Mediação ONLINE? Após a primeira sessão conjunta, os Mediados (utentes), assinam um primeiro acordo, em que se comprometem a participar no processo de Mediação, de forma livre, com respeito por todas as partes e pelo(s) Mediador(es) e pelos princípios da Mediação, nomeadamente, o sigilo do processo e do acordo, a autonomia da vontade das partes;
  10. Quantas sessões terá o processo de Mediação? O processo de Mediação terá o número de sessões que as partes e o(s) Mediador(es) considerarem necessárias e suficientes;
  11. Como termina o processo de Mediação?: o processo de Mediação, geralmente termina em acordo escrito, mas poderá não ser esse caso, se as partes assim o entenderem ou se o Mediador(es) verificarem que não existem condições para celebrar o acordo, nomeadamente se o mesmo for ou contiver cláusulas ilegais ou manifestamente desproporcionais;
  12. Outras informações pertinentes (1): damos preferência a Mediações com observação, para dar experiência aos Mediadores Estagiários, e solicitamos o reporte/feedback à Associação, com a finalidade de melhorar o serviço.
  13. Outras informações pertinentes (2): os Mediadores da Bolsa de Voluntários #TFCOVID19AMC, regem-se pelas normas do Código de Ética e Deontologia da Associação de Mediadores de Conflitos e pela Lei n.º 29/2013 de 19 de abril
  14. Onde posso pedir uma Mediação?: Pode enviar eMail, para: associacao@mediadoresdeconflitos.pt, com o seu contato telefónico/whatsapp, ou ligar para 96 496 2090.

#TFCODID19AMC #VAMOSFICARBEM!

AMC desde 2002

Mediadores Voluntários: Q&A Bolsa de Mediadores

Respostas a dúvidas frequentes:

  1. Como serão feitos os contatos iniciais: os contatos serão feitos através da Associação, que os interessados contatarão, para depois a Associação, contatar os Mediadores Voluntários e fornecer os dados dos interessados, para fazerem uma pré-Mediação;
  2. Quais as plataformas virtuais que serão utilizadas: estamos a aconselhar a Zoom, mas pode ser usada qualquer uma à escolha do Mediador e/ou dos Mediados;
  3. As mediações serão judiciais ou extra-judiciais: as Mediações serão extra-judiciais;
  4. Quantas mediações serão feitas por cada mediador e a periodicidade; o número e periodicidade, dependem do volume de pedidos que recebermos na Associação, vamos garantir tentar garantir o maior número de Mediações possíveis, para o maior número possível de Mediadores;
  5. Outras informações pertinentes: damos preferência a Mediações com observação, para dar experiência aos Mediadores Estagiários, e solicitamos o reporte/feedback à Associação, com a finalidade de melhorar o serviço.

#TFCOVID19AMC #VAMOSFICARBEM!

Dúvidas técnicas: covid19.amc.helpline@gmail.com

Adesões: mediadoresvoluntarioscovid19@gmail.com

AMC desde 2002

 

Mediadores Voluntários contra o COVID19 (#TFCOVID19AMC)

Caros colegas Mediadores Lusófonos:

Devido à crise originada pela pandemia global de #COVID19 e à obrigação dos cidadãos de permanecerem em casa, surgirão inevitavelmente conflitos familiares, de vizinhança e muitos outros, potenciados pelo isolamento social.

Embora não seja possível neste momento trabalhar presencialmente com os mediados, se lhes for oferecida informação e mediação online, podemos oferecer-lhes uma valiosa ferramenta para reduzirem o numero dos conflitos e os níveis da conflitualidade.

Por esse motivo, a ASSOCIAÇÃO DE MEDIADORES DE CONFLITOS em parceria com o INSTITUTO DE MEDIAÇÃO FAMILIAR E DE CONFLITOS, e o MINISTÉRIO DA JUSTIÇA (DGPJ) criou um programa de Mediadores Voluntários denominado Mediadores Voluntários Contra o COVID19 ou TaskForce COVID19 (#TFCOVID19) que se disponibilizarão altruístamente (durante o período de emergência sanitária) para ajudar cidadãos a resolver os seus conflitos, familiares ou outros, por MEDIAÇÃO ONLINE e GRATUITA, através de videoconferência.

Os cidadãos interessados serão encaminhados pela AMC para os mediadores que se voluntariarem para este serviço (#TFCOVID19AMC).

As condições de adesão a este programa (para mediadores) são as seguintes:

– Cumprir os requisitos de formação necessários para inscrição no Registo de Mediadores do Ministério da Justiça (em Portugal), disponível em www.dgpj.pt
– Aceitar ter observação de outro mediador nos casos em que os mediados não se opuserem a ser comediados;
– Aceitar ser supervisionado e receber/dar “feedback” sobre o processo de mediação;
– Cumprir e fazer cumprir as regras deontológicas do CÓDIGO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA DA ASSOCIAÇÃO DE MEDIADORES DE CONFLITOS, disponível em www.mediadoresdeconflitos.pt;

Contactos:
Pedidos/marcação de Mediações e informações sobre os
procedimentos:
Tel.: 96 4962090, email: associacao@mediadoresdeconflitos.pt

Adesão/Inscrição de mediadores:
Tel.: 93 811 4322, email: mediadoresvoluntarioscovid19@gmail.com

Helpline (questões técnicas, instalação de plataformas e outros):
Tel.: 91 110 9994 Email: covid19.amc.helpline@gmail.com

Estamos certos que neste momento de crise sanitária e social, os Mediadores estarão na vanguarda dos que continuam a manter Portugal a funcionar e a preparar um futuro em que a Mediação, se fizermos a nossa parte agora, será muito mais reconhecida, respeitada e acarinhada pelos nossos concidadãos.

Por Portugal, pela MEDIAÇÃO,

A Direção da AMC e do IPMF

“Estamos constantemente a enfrentar grandes oportunidades, brilhantemente disfarçadas de insolucionáveis problemas” (Lee Iacocca)

AMC Mediadores de Conflitos desde 2002

MEDIADORES VOLUNTÁRIOS COFID19

Informações úteis e contactos:
Adesões de mediadores:
Informações/pedidos de Mediação:
Helpline questões técnicas (instalação das plataformas e outros):

Mediadores Voluntários contra o COVID19 (#TFMEDIADORESCOVID19)

Devido à crise originada pela pandemia global de COVID19 e à obrigatoriedade, para segurança de todos, de os cidadãos permanecerem em casa, estão criadas as condições para que os inevitáveis conflitos (familiares, de vizinhança e mesmo comerciais) ganhem uma expressão mais significativa.

Proporcionar a oportunidade de realizar mediação online, quando o serviço presencial não é opção, pode ser um valioso contributo para a redução dos níveis da conflitualidade e um instrumento de pacificação social e familiar.

Por esse motivo, a ASSOCIAÇÃO DE MEDIADORES DE CONFLITOS em parceria com o INSTITUTO DE MEDIAÇÃO FAMILIAR E DE CONFLITOS, criou uma Task Force de Mediadores voluntários (TFCOVID19) que se disponibilizarão GRATUITAMENTE DURANTE ESTE PERÍODO, a ajudar na gestão dos conflitos familiares, ou outros, utilizando Smartphone, PC ou Tablet.

Os cidadãos interessados poderão requerer este serviço nesta página ou no Facebook da AMC e serão encaminhados para os mediadores voluntários que atuarão segundo as melhores práticas internacionais e de acordo com o CÓDIGO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA da AMC.

As condições para os mediadores aderirem a este programa são as seguintes:

– Cumprir os requisitos de formação necessários para inscrição no Registo de Mediadores do Ministério da Justiça (consultar em http://www.dgpj.pt).

– Aceitar que as suas sessões sejam observadas por mediadores em processo de formação;

– Aceitar ser supervisionado e dar “feed-back” sobre o processo de mediação;

– Cumprir e fazer cumprir as regras deontológicas do CÓDIGO DE ÉTICA E DEONTOLOGIA DA ASSOCIAÇÃO DE MEDIADORES DE CONFLITOS (disponível em http://www.mediadoresdeconflitos.pt).

Estamos certos que neste momento de crise sanitária e social, os Mediadores estarão na vanguarda dos que continuam a manter Portugal a funcionar.

A Direção da AMC

David Santiago

 

Conformidade Regulamento Geral de Proteção de Dados 

Já deve ter ouvido falar sobre o novo Regulamento Geral sobre Proteção de Dados, que entrará em vigor a 25 de maio de 2018 (Regulamento UE 2016/679 do Parlamento Europeu e do Conselho de 27 de abril de 2016).

Para nos ajudar a cumprir com os requisitos de consentimento, precisamos confirmar consigo que quer continuar a receber informações ocasionais. 

As informações que guardamos destinam-se exclusivamente a fins de comunicação e são compostas pelo nome, endereço de e-mail e empresa.

Estas informações são processadas pelo nosso software de correio que cumpre com o RGPD em matéria de segurança e privacidade.

Se quiser continuar a receber os nossos e-mails, por favor, ignore isto e permanecerá na nossa mailing-list.

Se quiser ser removido da nossa mailing-list por favor clique em ‘Descadastrar‘ ou ‘atualizar configurações‘ no link do e-Mail que vai receber. Poderá a qualquer altura optar por não receber mais comunicações nossas quando receber um e-Mail!

GDPR compliance

You may have heard about the new General Data Protection Regulation (“GDPR”), that comes into effect May 25, 2018. To help us comply with GDPR consent requirements, we need to confirm that you would like to continue receiving occasional newsletters from us.

The information we hold for you is purely for marketing communications purposes and is consists of name, email address and company.  This information is held within our mailing software which itself is fully GDPR compliant with regard to safety and security.

If you want to continue receiving emails from us please ignore this and you will remain on our mailing list.

If you want to be removed from our mailing list please click on the ‘unsubscribe’ or ‘update settings’ link in the e-Mail message you will receive.

You will have the opportunity to opt out of receiving communications from us every time we contact you!

 

#Semana da #Sensibilização para a #Mediação #2018

Terminou a edição  2017. Vai começar a organização da edição #2018!

A todos quantos organizaram, colaboraram e participaram na edição 2017 a AMC agradece, e convida para o próximo ano!

Cumprimentos “especiais” para as seguintes entidades e participantes:

Instituto de Mediação da Universidade Lusófona do Porto: Professora Doutora Elisabete Pinto da Costa.

CARL da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa: Professor Doutor Luís Lima Pinheiro e Dra. Cátia Miguéns.

Direção-geral de Politica de Justiça: Professora Doutora Susana Videira, Dr. Renato Gonçalves e Dra. Marta San-Bento.

Conselho dos Julgados de Paz: Conselheiro Cardona Ferreira.

Instituto Você: Dr. Bento Augusto e Dra. Euzeni Paiva.

Instituto de Mediação e Arbitragem de Portugal: Dra. Célia Nóbrega Reis.

Mediatian Awareness Week UK: Dra Irene Grindell.

OBRIGADO…ATÉ JÁ!

%d bloggers like this: